Seleções Coloridas #14 pela editora Ebal

Muita gente boa acha que o Pato Donald apareceu pela primeira vez no Brasil quando sua revistinha homônima foi lançada em julho de 1950 pela Editora Abril.

Como título foi realmente, mas o pato mais enfezado dos quadrinhos, criado em 1934 pelos estúdios de animação de Walt Disney, surgiu em várias publicações antes de seu dèbut em revista própria. Já a partir da década de 30, suas tiras cômicas entraram em diversas edições de Mirim e Suplemento Juvenil, publicações do Grande Consórcio de Suplementos Nacionais pilotado pelo visionário Adolfo Aizen, o homem que introduziu no Brasil o quadrinho moderno americano, com seus cowboys, super-heróis e detetives destemidos. Os famosos “tijolinhos”, livrinhos de bolso com textos e ilustrações em páginas separadas, também publicaram Donald em suas páginas. A Biblioteca Mirim, editada por Aizen entre 1937 e 1945, veio com personagens Disney e Donald protagonizou a edição nº 18, além de fazer parte da edição nº 24, “Sinfonias Alegres”.

A Editora A Noite também lançou volumes nesse formato e sua Coleção Walt Disney, lançada entre 1941 e 1943 trouxe o irritadiço pato na edição nº 10, “Donald x Quinquim”. A Coleção Big, também do Grande Consórcio, mostrou o personagem no volume “Pato Donald vê Estrelas”. Em O Guri (revista de O Cruzeiro) e O Lobinho, o pato mostrou discretamente seu bico; já no Gibi e no O Globo Juvenil (pertencentes à Roberto Marinho) sua presença foi marcante, incluindo as primeiras aparições de Margarida e dos sobrinhos. Mas foi em 1946, que de fato, o querido personagem mostrou-se aos leitores brasileiros com o perfil e o formato que o iriam eternizar.

seleçoescoloridas

Seu destino no Brasil mais uma vez teve a mão do editor Aizen, que acabara de lançar sua própria editora, a mítica EBAL, e a partir de um acordo na Argentina com a Editorial Abril, de César Civita (irmão do futuro dono da Editora Abril Victor Civita), lançou Seleções Coloridas, em outubro de 1946, o seu primeiro título de quadrinhos desta fase. Essa série de 17 edições – 14 com histórias de Walt Disney – surgiu nas bancas a cores e em português, embora fosse impressa na Argentina, e teve o privilégio de publicar logo no número 1, a história “Donald e o pica-pau”, estreia no Brasil do genial Carl Barks, criador do Tio Patinhas, Gastão e Maga Patalógika, entre tantos personagens, e definidor de toda a genética da família Pato a partir de 1942.

Esses 17 exemplares de Seleções Coloridas se tornaram com o tempo, itens dos mais procurados entre os aficionados colecionadores de HQs.

A edição acima, retirada com pinça das catacumbas de meu armário, é a de número 14, de 25/11/1947, e como vocês podem ver, traz nosso Donald e seus sobrinhos na capa que destaca as duas histórias internas de Barks, “Donald no Alaska” e “Resolução Difícil”. Um verdadeiro tesouro!

capastotal

Todas as capas de Seleções Coloridas podem ser apreciadas no Guia dos Quadrinhos.

4 comentários em “Seleções Coloridas #14 pela editora Ebal

  1. Taí uma preciosidade que ainda sonho ter nas mãos… todas essas SC da Disney… mas tá cada dia mais na seara dos sonhos… infelizmente…

      1. Marcos, tenho um exemplar em boas condições de Mickey e os Sete Fantasmas da EBAL (1950). Sabe se essa edição tem valor de mercado ? Obrigado. Abraços.

  2. Gustavo, desculpa responder com tanto atraso. Essa edição tem valor de mercado sim! só não tenho ideia do preço atual. Procure o Renato Frigo na rede que ele tem uma boa noção de preço para esse tipo de item.
    abs

Deixe uma resposta