Loucuras de um colecionador de HQs

Qual a maior “loucura” ou atitude “sem noção” que já fizemos para adquirir uma revista ou coleção? Já gastamos horrores? “Emprestamos” dos colegas com más intenções?

Por volta de 1986/87, eu ainda não havia entrado em contato com a revista A Espada Selvagem de Conan. Ela já circulava há uns dois anos, mas não chegava muita coisa à cidade em que morava. Eu lia Capitão América, Heróis da TV e SAM, que tinha a sorte de pegar na banca. E ficava muito feliz. Mas, um dia, entrei no único sebo que havia e encontrei a ESC 19, com capa do Liberatore. Peguei, folheei e levei para casa, ansioso com aquilo. Quando terminei de ler, estava boquiaberto com o roteiro, desenhos, capa etc. Era algo totalmente deferente dos outros gibis que estava lendo. Fiquei maluco.

ESC #19 - A edição onde tudo começou
ESC #19 – A edição onde tudo começou

Passei a procurar essas revistas e, vez ou outra, encontrava na banca. Comprava sem pensar duas vezes. Até que um dia, naquele mesmo sebo, entrei e vi o dono negociando com outro cara. Cheguei perto para ver e vi uma caixa LOTADA de ESC. O tempo parece que congelou, trazendo ventos gélidos da Hiperbórea. Não preciso descrever a sensação para os senhores, pois sei que a conhecem bem.

Segurei-me para não atravessar a negociação dos caras. Esperei, impacientemente, o término do negócio. Assim que o vendedor saiu, perguntei para o dono quanto ele queria, esforçando-me para não demonstrar tanto interesse. Ele perguntou: cada? Eu: TUDO. Ele fez uma cara de surpreso, pensou um pouco e lascou o preço. Nem sei se achei alto e tal. Só sei que pedi para ele guardar até o dia seguinte, pois era tarde e o banco havia fechado.

No dia seguinte, após uma noite mal dormida, peguei o ônibus e fui para a cidade (sim, eu morava em uma fazenda, a 12 km do sebo).

Cheguei ao banco, “rapei” a poupança que tinha, fechei a conta e fui ao sebo. Uma hora depois, estava eu, com uma caixa de uns 20kg no ombro, entrando no ônibus, de volta para casa. E uma chuva de verão começou assim que entrei. Por pouco, não perco meu tesouro. Mas correu tudo bem e cheguei em minha casa, com um sorriso no rosto e dor nos braços.

Espalhei tudo no chão e comecei a admirar as edições. Tinha o número 1, 2, 3 até a edição 35, se não me engano. Minha mãe não gostou muito, mas sei que passei muitas tardes à sombra das árvores, vivendo as aventuras do bárbaro e imaginando que “Crom” havia atrasado aquela chuva de verão para que eu colocasse em segurança minhas revistas recém-adquiridas.

Ah, sim. Hoje, claro, tenho a coleção completinha. 😉


Sandro Almeida
Administrador de empresas, amante de quadrinhos, cinema e cultura pop em geral. Sonha em montar um sebo, mas acha que iria à falência, por não querer vender a mercadoria.

4 comentários em “Loucuras de um colecionador de HQs

  1. Prezado Sandro Almeida

    Realmente as vezes temos que fazer loucuras para adquirir revistas, eu como colecionador Disney sei bem tudo que tive que passar durante os 27 anos de 1978 a 2005 para formar minhas coleções Disney, hoje tenho tudo, ou praticamente tudo que saiu da Disney no Brasil, são mais de 8200 revistas, porém sempre falta algo, a cada dia descobrimos uma revista que não foi divulgada e existe, hoje me dedico também a ajudar outros colecionadores e no final de 2014 comprei uma grande coleção com cerca de 8000 revistas (Disney e Turma da Mônica) de 1950 a 2000 que estarei colocando em breve a venda, no meu site, abraços.

    1. Amigo, acompanho seu site e sua história. Realmente, merece os parabéns por suas coleções. Disney tem muiiita coisa. Abraço.

  2. Já fiz algo muito parecido… encontrei uma coleção de encadernados do Pato Donald, com números salteados do 100 ao 600… umas 300 e tantas revistas em 20 volumes… Emprestei dinheiro da minha mãe que tinha acabado de receber um acerto no trabalho dela pra comprar.. Custou uma fábula mesmo para os dias de hoje e olha que isso aconteceu em 2002… Mas é uma das maiores preciosidades que tenho até hoje e faria de novo se preciso (ou se possível hehehe).
    Parabéns pelo relato, muito bom saber que não somos os únicos malucos desse naipe na face da terra, não é??? hehehe

Deixe uma resposta