II FLIQ – Feras do traço e festa dos quadrinhos em Limeira

colunista_MarcosMassoliniO fim de semana retrasado foi especialíssimo. Tive a oportunidade no domingo de viajar até Limeira com a família (esposa, filhos e sogra) para prestigiar o II FLIQ (Festival Limeirense de Quadrinhos), organizado pelo amigo Renato Frigo.

Curti demais o evento, que como bem disse o caricaturista Erico San Juan em um jornal local, promete se transformar em um polo dos quadrinhos no interior, assim como Piracicaba é para o cartum. Minha família adorou também, principalmente pela receptividade e simpatia com que foi recebida pelos artistas e profissionais convidados.

FLIQ 2017 Minighitti1
O grande Augusto Minighitti.

Logo de início já topei com o lendário Marcatti, o “artesão dos quadrinhos brasileiros”, que faz toda a produção e impressão de seus projetos artesanalmente em casa, e com o anfitrião Renato Frigo, responsável por toda a organização e logística do evento; na sequência só feras no caminho: Augusto Minighitti (desenha muito!!), Pedro Mauro (desenha muito!!), Breno Ferreira (de Limeira, tem um estilo personalíssimo), Floreal Andrade (meu amigo de muitas histórias, autor da série “Subúrbio”, emocionante, passional, antológica, sempre na medida), Spacca (a sua humildade e generosidade vem na mesma proporção da sua importância para as HQs brasileiras).

FLIQ 2017 Floreal2FLIQ 2017 Frigo2FLIQ 2017 Spacca1
Aliás, com Spacca, Floreal e o editor Paulo Batista, que conheci no evento, saiu uma conversa mui substanciosa, que misturou Hilde Weber, Revista Animal, Carlos Lacerda, Tribuna da Imprensa, Lira Paulistana e Kães Vadius, só pra situar os tópicos mais importantes. Numa sala próxima, Celsão Comic Hunter e suas “raridades a rodo” (enfim, as três edições de Hakan vieram para minha sacola!); a Comix, com boas promoções (um pouco escondidas, mas eu encontrei-as!) e lá no fim do corredor, o estande Abril-Coleção Don Rosa-Volume 01da Editora Noir (com muitos e muitos lançamentos, incluindo o último projeto do “trator” Gonçalo Jr., sobre a vida do compositor Vadico, parceiro de Noel Rosa. Gonçalo devia virar tese universitária pela sua rapidez e qualidade na escrita, um lançamento a cada dois, três meses!) e da Editora Abril – Paulo Maffia, presente, claro, lançando especialmente no FLIQ, o novo álbum capa dura da série dos “patos” com desenhos de Don Rosa.

Nas andanças pude conhecer jovens talentos do traço e da literatura, quase todos do interior do Estado de SP e também um estande muito interessante – com mais raridades “brilhando” para o lado dos meus olhos de colecionador -, da Comic City, loja situada em Campinas – a edição facsimile comemorativa de “A Nação – Suplemento Infantil” e a edição especial de “Freddy e Nancy” eu encontrei em suas prateleiras.

digitalizar0012 digitalizar0013 digitalizar0014 digitalizar0015 digitalizar0016 digitalizar0017 digitalizar0018 digitalizar0019 digitalizar0020 digitalizar0021 digitalizar0022 digitalizar0023 digitalizar0024 digitalizar0025 digitalizar0026
Além das fotos (clicadas pela minha filha Letícia), e das imagens dos autógrafos especiais e das revistas que consegui por preços bem a contento, que ilustram o post, segue o link com a galeria completa organizada e clicada pelo Augusto Minighitti, que além de estraçalhar no traço, é gente boa pra caramba e soube com precisão captar o clima festivo e de amizade proporcionado pelo II FLIQ (pena que muitos amigos só vieram no sábado e eu não pude vê-los).

Valeu, Renato Frigo! O Festival Limeirense de Quadrinhos já é uma realidade bem sólida e promete ainda muitas emoções futuras!


colunista_MarcosMassolini

Marcos Massolini

Colecionador pra valer desde 1978. Acompanha com gosto a movimentação atual mas seu hobby ainda é caçar raridades em prateleiras empoeiradas de sebos.

Deixe uma resposta