29-07-2017

Por

Dylan Dog em “Retorno ao Crepúsculo”

capa 01 lorentz

Editora: Lorentz
Autores: Tiziano Sclavi (texto), Giuseppe Montanari (desenhos) e Ernesto Grassani (arte-final)
Preço: R$ 16,00
Número de páginas: 100
Data de Lançamento: Abril de 2017

Sinopse
Dylan Dog aceita a missão de levar Opal, a filha de seu desafeto, Doutor Hicks, até a misteriosa cidade de Inverary, na expectativa de que ela possa ser curada do bizarro mal que a aflige. Uma vez no local, o Investigador do Pesadelo se vê novamente mergulhado na “Zona do Crepúsculo”, uma dimensão sem limites de espaço e tempo, onde antigos segredos podem vir à tona e a loucura está sempre à espreita.

Crítica
Como edição de estreia, a recém-criada Editora Lorentz, de Santa Maria – RS, teve a feliz ideia de trazer de volta às bancas o nosso estimado Investigador do Pesadelo, muitos anos depois de a editora Mythos ter abandonado sua publicação regular. E isso foi feito em grande estilo. Basta pegar o exemplar em mãos para perceber que a Lorentz fez um trabalho digno de fã para fã, incluindo no seu trabalho tudo que havia sido feito de melhor pelas editoras anteriores que publicaram o personagem no Brasil: utilizou o formato italiano com capa plastificada da Record, o miolo com papel offset branco da Conrad e ótimo trabalho de tradução e revisão, como o da Mythos.

Em relação à história, é difícil classificá-la de outra forma que não seja essa: genial. Tudo que já havia contribuído para que a primeira passagem de Dylan Dog por Inverary fosse configurado em uma excelente aventura – abordada na edição de nº 07 da Record, intitulada “A Zona do Crepúsculo” – aparece novamente aqui, só que elevado a outro patamar de brilhantismo.

Temos uma belíssima passagem metalinguística envolvendo o trabalho do icônico escritor Edgar Allan Poe, abordagens de diferentes vertentes ocultistas entremeando o roteiro, como Mesmerismo e Hermetismo – das quais Sclavi se revela profundo conhecedor – além da participação pontual de personagens clássicos, como Xabaras e Morgana. Tudo isso em meio a um clima caótico de mistério e loucura, que em vários momentos deixa o leitor desnorteado, mas sempre instigado para seguir a leitura em busca do desfecho da aventura.

Com toda certeza, o que mais me agradou nessa edição foi o fato de que ela funciona como uma espécie de chave interpretativa para decodificar os vários elementos tão presentes no universo de Dylan Dog e que muitos leitores consideram “confusos”, como dimensões paralelas, entrecruzamentos espaço-temporais e realidades alternativas. A explicação definitiva está aqui, onde se evidencia que o maior agente propulsor da odisseia humana é também o seu único limite: a mente.

Para engrandecer ainda mais esse trabalho, os belos desenhos são de ninguém menos que a dupla Giuseppe Montanari e Ernesto Grassani, meus ilustradores favoritos entre os que costumam se dedicar ao Investigador do Pesadelo.

A única ressalva que vejo necessidade de fazer é a constatação de que essa história só pode ser apreciada em toda a sua grandeza mediante a leitura anterior da aventura publicada no nº 07 da editora Record. É claro que o leitor eventual pode curtir essa edição sem conhecer a primeira passagem de Dylan Dog por Inverary, mas, na minha opinião, a experiência com o aprofundamento dos elementos mais marcantes do fantástico universo da Zona do Crepúsculo não será tão rica.

Vale destacar ainda que a edição traz também dois textos complementares do tradutor Júlio Schneider, que se por um lado não trazem nada de novo aos iniciados no universo do Investigador do Pesadelo, por outro ajuda os leitores neófitos a se situarem em relação à trajetória editorial do personagem no Brasil e no exterior.

Que venha logo o nº 02 da Editora Lorentz!

Classificação

 André Bozzetto Jr
Graduado em História e Mestre em Letras, tem como um de seus hobbies colecionar histórias em quadrinhos. É fã dos personagens clássicos da Sergio Bonelli Editore, em especial de Dylan Dog, o Investigador do Pesadelo.

Deixe uma resposta