Do Fundo do Baú: Popeye nº1 / Março de 1953 (EBAL)

colunista_MarcosMassoliniEssa relíquia que compartilho aqui – Popeye nº 1, – eu consegui no ótimo Festival Guia dos Quadrinhos, evento capitaneado pelo Edson Diogo do Guia dos Quadrinhos há bons anos e que na ocasião (2012) se chamava Mercado de Pulgas.

A aquisição foi no estande de um dos expositores que sempre estiveram presentes no festival – o Celso “Comic Hunter”. Mesmo chegando no meio da tarde, quando grande parte das raridades já estavam nas mãos de ávidos “caçadores”, encontrei naquela edição exemplares bem interessantes – alguns raros, outros apenas para completar minha coleção.

Trago para a coluna esse exemplar lançado pela Ebal no movimentado mês de março de 1953, ano em que foram publicados outros primeiros números pela editora, incluindo o cultuado Batman (os lançamentos simultâneos podem ser vistos no anúncio que ilustra esta página).

Vale a pena também ler de ponta a ponta o “Conversa do Diretor”, seção em que Adolfo Aizen traz não só curiosidades sobre o famoso personagem como resgata nomes de colaboradores ilustres que trabalharam nas pioneiras aparições de Popeye no “Suplemento Juvenil”, primeira publicação de Aizen no campo dos quadrinhos.

Os ilustres citados são Donatelo Grieco, ex-Cônsul do Brasil em Lisboa e que deu nome a vários personagens da série e seu primo Giuseppe Ghiaroni, novelista, radialista e poeta. Também é citado o jornalista Orlando Dantas do Diário de Notícias, que publicou as tiras de Popeye em seu jornal graças à dica de Aizen.

Esse era um tempo em que poetas, escritores (como Nelson Rodrigues), artistas plásticos e funcionários públicos trabalhavam nos bastidores das histórias em quadrinhos, como tradutores e “adaptadores” principalmente. Muitos destes profissionais deram nomes ou “abrasileiraram” nomes estrangeiros de personagens, vários utilizados até hoje (Dudu, chapa do Popeye e que se chama no original J. Wellington Wimp ou simplesmente Wimpy, é um deles).

colunista_MarcosMassolini
Marcos Massolini

Colecionador pra valer desde 1978. Acompanha com gosto a movimentação atual mas seu hobby ainda é caçar raridades em prateleiras empoeiradas de sebos.

Deixe uma resposta