22-07-2015

Por

As memórias de uma coleção

Dia desses, tive a oportunidade de participar de uma compra de revistas em quadrinhos, organizado pelo grupo dos Colecionadores de HQs, sob a batuta do amigo e colecionador Renato Frigo.

Essa grande coleção, disponibilizada devido ao falecimento de um grande colecionador, está tendo seus itens catalogados e avaliados pelo Renato, juntamente com o tutor da coleção.

O fato de participar de um leilão com tantas opções de escolha e disputar lance a lance determinado item é muito divertido e prazeroso. Toda a adrenalina e ansiedade dos instantes finais do evento foi algo que somente colecionadores entendem.

Mas, passada toda essa atribulação, com nossas mentes já livres da dita ansiedade, começamos a ver toda a situação sob uma perspectiva diferente.

Toda coleção carrega um pouquinho de seus donos. Seja um momento de conversa na banca da esquina, uma visita ao sebo de uma cidade qualquer, um instante de repouso em um banco de uma praça…

Enfim, um diário em forma de várias peças de papel, em que texto e imagem formam um emaranhado de memórias muito íntimas, próprias de cada um de nós – quem já não se lembrou de um momento específico ao folhear determinada revista ou reler uma história?

Tendo isso em mente, é difícil não sentirmos um nó na garganta, ao imaginarmos todos os sentimentos impregnados em cada uma das peças disponibilizadas que, agora, se juntam às nossas, transformando-se em mais um momento especial, que será guardado em nossas mentes e corações.

Quem sabe, um dia, possamos juntar todos esses itens para formar esse grande diário e, então, desvendarmos um pouco mais sobre esse colecionador, que, em sua partida, deu início a um novo ciclo na vida de tantos outros. E, por sorte, eu sou um deles!

betty
Edição que arrematei no leilão.


Sandro Almeida
Administrador de empresas, amante de quadrinhos, cinema e cultura pop em geral. Sonha em montar um sebo, mas acha que iria à falência, por não querer vender a mercadoria.

Deixe uma resposta