27-05-2015

Por

As 50 melhores HQs do Homem-Aranha [50 – 46]

Parece que os leitores gostaram do meu artigo Teias Obscuras, publicado na revista Mundo dos Super-Heróis 65 (abril de 2015), sobre HQs pra lá de interessantíssimas do Homem-Aranha.

Tanto é verdade que muita gente me escreveu perguntando quais seriam as minhas histórias preferidas do personagem. Não aquelas que o consenso aponta como as mais importantes… simplesmente as que eu mais gostei.Tarefa difícil, pois o Aranha tem décadas de histórias publicadas, e muitas fases em alto nível. Porém aceitei esse desafio e, a duras penas, selecionei apenas 50 entre uma infinidade já produzida. Assim, esta é a primeira de 10 postagens que publicarei aqui no Manifesto nas próximas semanas, com um breve comentário sobre cada uma das histórias.

Espero que você aprecie a minha seleção, e que não deixe de comentar, analisar, discordar e, claro, apontar as suas preferidas também.

Bom divertimento!

50ª – VENOM
[Amazing Spider-Man 300]

Um dia o Homem-Aranha começou a usar um traje negro sem saber que se tratava de uma criatura alienígena simbionte. Depois de se livrar dela, a criatura vingativa se uniu ao jornalista Eddie Brock, que também odiava o herói. Juntos se transformaram em Venom, um dos maiores psicopatas da Marvel. Em sua estreia ele aterroriza Mary Jane e dá provas de que seria o pior inimigo do Aranha pelos anos seguintes. Autores: David Michelinie (roteiro) | Todd McFarlane e Bob McLeod (arte)

 

49ª – A ÚLTIMA CAÇADA DE KRAVEN
[Web Spider-Man 31/32, Amazing Spider-Man 293/294, Spectacular Spider-Man 131/132]

Após várias derrotas humilhantes, Kraven, enfim, atinge seu intento. O caçador enterra o Homem-Aranha e toma o seu lugar. Mas a vingança jamais estaria completa se o aracnídeo não estivesse a par de sua derrota. Uma trama macabra permeada de sobressaltos, misticismo e jogos psicológicos. A respeito da HQ, Stan Lee disse que sentiu uma ponta de inveja por não a ter escrito. Autores: J. M. DeMatteis (roteiro) | Mike Zeck e Bob McLeod  (arte)

 

48ª – DE VOLTA AO LAR
[Amazing Spider-Man 30 ao 35]

Tudo que Peter Parker acreditava sobre a sua própria origem, vira de pernas para o ar quando o misterioso Ezekiel lhe revela que seus poderes não foram resultantes de um acidente aleatório, mas algo predestinado por milenares forças totêmicas. Em meio a essa reviravolta, o Aranha luta pela sua vida, mas também por suas crenças e autoafirmação como super-herói. Autores: J. Michael Straczynsky (roteiro) | John Romita JR e Scott Hanna (arte)

 

47ª – A NOITE DO DUENDE (final do arco REVELAÇÕES)
[Spider-Man 75]

Na intenção de rejuvenescer o Homem-Aranha, os editores da Marvel aproveitaram uma brecha na Saga do Clone dos anos 1970, e disseram que o Peter Parker dos últimos 20 anos – o que casou-se com Mary Jane – era, na realidade, o clone, enquanto o cara original, andava por aí como Aranha Escarlate (Ben Reilly). Os leitores se indignaram, as vendas despencaram, cabeças rolaram, e a editora voltou atrás. Num momento derradeiro, é revelado que tudo não passou de uma maquinação diabólica de Norman Osborn, o primeiro Duende Verde. O fato de enfraquecerem a mítica morte do vilão em ASM 122, não impediu de A Noite do Duende ser uma das mais emocionantes e aliviantes histórias do Cabeça-de-Teia. Autores: Howard Mackie (roteiro) | John Romita JR e Scott Hanna (arte)

 

46ª – MEU MELHOR INIMIGO
[Spectacular Spider-Man 200]

Harry Osborn era o melhor amigo de Peter Parker desde os tempos de faculdade. Ambos dividiram o mesmo apê e namoraram as mesmas garotas. Só que Harry tinha graves problemas psicológicos decorrentes de uma infância solitária e do uso de drogas. Harry também era filho do Duende Verde original, o nêmesis de Peter. Esta aventura é a culminação de anos de um relacionamento fraternal conturbado, e também de lágrimas e morte. Autores: J. M. DeMatteis (roteiro) | Sal Buscema (arte)

 

Nota: As cinco HQs citadas nesta postagem são comentadas com maior profundidade e trabalho de pesquisa – e entremeadas por depoimentos dos próprios autores – em meu novo livro A ERA MODERNA DOS SUPER-HERÓIS, a ser lançado em breve pela HQM Editora.


Roberto Guedes
Guedes Manifesto

Um comentário em “As 50 melhores HQs do Homem-Aranha [50 – 46]

  1. O Aranha tem um papel especial na minha vida de colecionador porque foi a primeira revista que li (na verdade fui alfabetizado aos cinco com a edição da EBAL dele). E também foi onde parei em certo ponto quando começou a horrível saga do clone.
    E voltei a comprar quando saíram os encadernados da Biblioteca Histórica (e a partir daí a coisa ficou realmente séria). Infelizmente o personagem foi muito maltratado ao longo dos anos e é ótimo ter referencias do meu período ausente. Considero listas sempre sem me preocupar muito com a “posição”em que a história foi colocada e sim com os critérios da seleção e ela ter sido feita por motivos afetivos a torna mais interessante.
    Das 5 primeiras posso comentar as que já li: não gosto muito do Venon (principalmente em termos visuais) e nem dos roteiros do Michelinie (apesar do McFarlane desenhar muito bem os movimentos e poses do Aranha).
    Gostei muito da Última caçada de Kraven, história bem desenvolvida e bem desenhada. Em relação a “De volta ao Lar” tenho impressões ambíguas, apesar de gostar do desenvolvimento da história, inventar motivações míticas para os poderes do Amigo da Vizinhança é um pouco demais (e ainda se aproveitar da imaginação do Stan Lee ter criado inimigos do Aranha com referencias animais).
    Das que nao li vou correr atrás da “Meu Melhor inimigo”. Nunca gostei muito de ressuscitar vilões, ainda amais dentro da saga do clone.
    Vou ficar ansioso para as outras partes da lista.

Deixe uma resposta