As 50 melhores HQs do Homem-Aranha [35 – 31]

Spidey-RomitaConfesso que está sendo bem divertido elencar as melhores histórias em quadrinhos do Homem-Aranha, já que posso recapitular muitos detalhes da trajetória do aracnídeo que nem lembrava mais.

É legal também acompanhar a reação do pessoal, seus comentários e impressões particulares. Afinal, a leitura pode ser uma atividade solitária, mas quando os fãs de gibis se reúnem – mesmo que virtualmente – a tagarelice rola solta.

E, convenhamos, é muito bom falar de HQs… Mas chega de delongas, que venham as próximas cinco colocadas!

35BestSpider35ª – O AMEAÇADOR!
[Untold Tales of Spider-Man 21]
Direto de “Os Arquivos Secretos do Homem-Aranha”, uma série sensacional dos anos 1990, que inseria novas HQs no passado do aracnídeo. Conferimos aqui, nosso herói ajudando os X-Men, também em início de carreira, a desmascararem um vilão que pretendia denegrir a reputação dos mutantes. O destaque fica por conta do discurso de Peter Parker numa cafeteria beat, contra o preconceito e a intolerância – causando admiração ao Fera. Entretanto, como a tônica na vida do Aranha é uma amarga ironia, ao se recusar em concluir a missão, devido aos problemas de saúde de Tia May, os X-Men ficam desapontados, concluindo que o herói não é um cara legal como “aquele rapaz da cafeteria”. Autores: Kurt Busiek (roteiro) – Pat Olliffe e Al Williamson (arte).

 

34BestSpider34ª – EXPEDIÇÃO À TERRA SELVAGEM
[Amazing Spider-Man 103 e 104]
Depois de escrever as cem primeiras edições do Aranha e mais alguns anuais, Stan Lee tirou uma folga e deixou seu chapa, Roy Thomas, cuidando da revista por quatro meses. Sem querer influenciar na continuidade de um título que não era seu, Roy preferiu prestar uma grande homenagem à história de King Kong. Assim, levou Peter, Gwen e Jameson à Terra Selvagem, em uma expedição que pretendia salvar o Clarim da falência. Sei lá a razão, mas sempre que o Teioso e Kazar se unem, sai uma grande aventura. Enquanto o Aranha enfrenta Gog, uma criatura alienígena gigantesca (metade réptil, metade macaco), Kazar salva Gwen das garras de Kraven. Enfim, uma HQ com ação, drama e humor à vontade. E diga lá: ver o fanfarrão do Jameson chorando por pensar que Peter tinha morrido, simplesmente não tem preço, não é mesmo? Autores: Roy Thomas (roteiro) – Gil Kane, Frank Giacoia e Tony Mortellaro (arte).

 

33BestSpider33ª – O QUE ACONTECERIA SE GWEN STACY NÃO TIVESSE MORRIDO?
[What If 24]
A série O Que Aconteceria Se… trazia histórias de realidades alternativas, narradas pelo inflexível Vigia, a partir de algum momento-chave da cronologia Marvel. Uma das mais emocionantes do título foi justamente a que mostrou o Aranha salvando a vida de Gwen durante a fatídica luta com o alucinado Duende Verde (publicada em ASM 121). Na trama original, o vilão jogou a garota da Ponte do Brooklyn. Num ato reflexo, o aracnídeo lançou sua teia para impedir a queda, e a parada brusca em pleno ar quebrou o pescoço da namorada. Aqui o Aranha agiu diferente: se jogou, salvando Gwen com seu próprio corpo. Gwen, que ainda acreditava que o Aranha era o responsável pela morte de seu pai, descobre que ele é o seu amado Peter Parker. Mas após ouvir as explicações dele, aceita, esfuziante, seu pedido de casamento. Mais tarde, o herói derrota o Duende, mas Harry implora ao Aranha que não entregue seu pai à justiça. O Duende demonstra arrependimento, e o Aranha deixa os dois partirem. Finalmente Peter e Gwen se casam, mas Jameson irrompe o local da cerimônia na companhia de policias, e com um envelope na mão – enviado a ele dias antes pelo Duende – com provas de que Peter e o Aranha são a mesma pessoa. Peter é obrigado a fugir, deixando Gwen desconsolada. Mesmo em outra realidade, a tragédia deu um jeito de interromper a felicidade do Homem-Aranha… Autores: Tony Isabella (roteiro) – Gil Kane, Frank Giacoia e vários outros (arte).

 

32BestSpider32ª – CORAÇÕES E MENTES
[Amazing Spider-Man Annual 1996]
Mais uma história incrível narrada em flashback, nos primeiros dias de namoro de Peter e Gwen. Os pombinhos decidem oficializar seu relacionamento e marcam um encontro com o pai da moça, o Capitão Stacy, no Grão de Café – o point da turma da Universidade Empire State. O sobrinho de Tia May está temeroso pelo encontro, pois sabe que o policial aposentado investiga a carreira do Aranha, podendo descobrir a qualquer momento o seu segredo. Paralelo a isso, a rivalidade crescente entre Norman Osborn e Kraven acaba justamente nessa lanchonete, quando o caçador enfrenta alguns capangas do empresário. Só que um dos facínoras conhece Stacy de outros carnavais e decide matá-lo. Obviamente o Aranha intercede e, após grande tumulto, os bandidos são capturados e Kraven foge. Essa trama, narrada e desenhada com o frescor dos bons e velhos tempos, serviu principalmente para esclarecer, como e quando, o Capitão Stacy concluiu que seu quase futuro genro era o Homem-Aranha. Autores: Tom DeFalco (Coplanejamento e diálogos) – Ron Frenz (coplanejamento e desenhos) – John Romita (arte-final).

 

31Bestspider31ª – HOMEM-ARANHA & TOCHA HUMANA
[Spider-Man/Human Torch – minissérie em cinco partes]
Chego a ficar abismado quando lembro que o autor dessa divertida minissérie, Dan Slott, é o mesmo cara que escreveu coisas lamentáveis como Homem-Aranha Superior e outras tolices, a ponto de levar umas duras de Stan Lee e John Romita. Mas vamos nos concentrar no que é bom – e, vai por mim, Homem-Aranha & Tocha Humana é uma HQ muito boa! O roteirista resgatou vários momentos da velha rivalidade entre o Cabeça-de-Teia e o Cabeça de Fósforo – desde a época que a namoradinha Dorie Evans causava ciúme em Johnny Storm marcando encontro com o CDF Peter Parker – costurando-as com situações inéditas, oferecendo ao leitor uma melhor compreensão da relação dos heróis. É simplesmente hilário quando Johnny descobre que Peter é o Aranha, e os dois confessam que sentiam inveja da vida que o outro levava. O final também é bonito, com a família Parker indo jantar no QG do Quarteto. Que demais! Autores: Dan Slott (roteiro) – Ty Templeton e outros (arte).

 

Nota: As cinco HQs citadas nesta postagem são comentadas com maior profundidade e trabalho de pesquisa – e entremeadas por depoimentos dos próprios autores – em meu novo livro A ERA MODERNA DOS SUPER-HERÓIS, a ser lançado em breve pela HQM Editora.


Roberto Guedes
Guedes Manifesto

Deixe uma resposta