08-03-2016

Por

Uma mistura pra lá de legal!

Nos anos 70, da primeira até a oitava série do ginásio estudei no período da manhã e quando saía da escola passava no bar de meu saudoso e querido pai Arentino, pegava um chocolate Diamante Negro e ia direto para minha casa. Eu chegava verde de fome, almoçava a comidinha gostosa de minha saudosa e amada mãe Conceição e depois adivinhem uma das primeiras coisas que eu fazia?!!

Ligava a televisão e começava a assistir os desenhos animados. Meus olhos nem piscavam! Quem não se lembra de Fantomas, o Guerreiro da Justiça e o refrão Zéeeeerooo de seu inimigo nº 1, o Dr. Morte.

2De Speed Racer nas suas aventuras em corridas de carros juntamente do misterioso Corredor X, que na verdade era seu irmão desaparecido anos atrás… Do singelo A Princesa e o Cavaleiro, onde Safiri era o 3Príncipe que tinha que esconder que na verdade era uma princesa do malvado Duque Duraluminio para não perder a oportunidade de se tornar Rei e para isso contava com a ajuda do anjinho Chin.

Papa Léguas (Bip Bip) e o coyote, Mister Magoo,entre outros desenhos maravilhosos! Mas nada foi mais marcante do que os desenhos da Hanna Barbera, eram muitos, um mais legal que o outro. Meus preferidos eram: A Corrida Maluca, Os Flintstones, Manda Chuva, Fantasma do Espaço, Os Jetsons, Os Herculóides, O Vale dos Dinossauros, Os Cavaleiros da Arábia, Scooby-Doo, Shazam, Jonny Quest, Os Impossíveis, ai ai… são tantos! Vou parando por aqui pois a lista é enorme… É que na verdade eu gostava de todos mesmo, kkk.

4

Aqui algumas das frases que não saem de minha cabeça até hoje:
OS FLINTSTONES – YABBA DABBA DOO!!! E WIIIIILMAAAA!!!!
LEÃO DA MONTANHA – SAÍDA PARA A DIREITA, SAÍDA PARA A ESQUERDA
LIPPY E HARDY – Ó VIDA, Ó DIA, Ó AZAR…
FANTASMA DO ESPAÇO – SPAIIIICE GHOOOOSSSST
DOM PIXOTE – Ó QUERIDA, Ó QUERIDA, Ó QUERIIIIDA,CLEMENTINA…!!
OS CAVALEIROS DA ÁRABIA – QUANDO BEZ, UM MÁGICO QUE PODIA SE TRANSFORMAR EM QUALQUER ANIMAL DIZIA “DO TAMANHO DE UM… E TAMBÉM O MAGO FARIEK, QUE USAVA AS PALAVRAS MÁGICAS “HOSSAN KOBAH”, E O BURRINHO ZAZUUM, QUE VIRAVA UMA TEMPESTADE DE RAIOS E FURACÕES QUANDO ALGUÉM PUXAVA SEU RABO.
A CORRIDA MALUCA E APUROS DE PENÉLOPE – A RISADINHA ASMÁTICA DO MUTLEY OU QUANDO ELE RESMUNGAVA PARA O DICK VIGARISTA…, MAS COMO EU PASSO ISSO PARA O PAPEL??!!!, RSSS
SCOOBY-DOO – QUANDO SALSICHA ESTAVA PREOCUPADO E PERGUNTAVA: SCOOBY-DOO CADÊ VOCÊ MEU FILHO?!!
ZÉ COLMÉIA – HE HE HEI CATATAU
MUTLEY – MÁQUINAS VOADORAS – MEDALHA, MEDALHA, MEDALHA
DICK VIGARISTA – MÁQUINAS VOADORAS – QUE VIVIA REPETINDO: “MUTLEY, FAÇA ALGUMA COISA!!” PARA PEDIR SOCORRO ; “RAIOS, RAIOS TRIPLOS!!”, QUANDO ALGO DAVA ERRADO” E “É O POMBO! É O POMBO! É O POMBO!!!” SINAL PARA TODOS PERSEGUIREM O POMBO-CORREIO COM SUA CORNETINHA INFERNAL
SHAZZAN! – QUANDO AS CRIANÇAS NANCY E CHUCK UNEM AS METADES DO ANEL MÁGICO E GRITAM SHAZZAN INVOCANDO O GÊNIO E ELE APARECE COM AQUELA GARGALHADA HO HO HO HO!
OS IMPOSSÍVEIS – E LÁ VAMOS NÓS!!!
CARANGOS E MOTOCAS – QUANDO A MOTOQUINHA CRIANÇA FICA REPETINDO: MAS EU TI DISSE, EU TI DISSE…

Nesta época, nos anos 60/70/80 as diversões das crianças dentro de casa eram três: ler gibis, assistir desenhos animados e colecionar álbuns de figurinhas. A Disney era a mais forte nos gibis e nos álbuns de figurinhas, mas a Hanna Barbera foi a única a misturar estes três divertimentos juntos como ninguém mais conseguiu fazer; Quantas vezes eu me via na sala da minha casa colando figurinhas num álbum e ao mesmo tempo assistindo os desenhos animados na televisão e lendo gibis, isto tudo comendo o chocolate que tinha pegado no bar do meu pai – se enganou aquele que pensou que eu tinha esquecido do chocolate do início do texto – kkk, mas que vida boa era aquela da minha infância!!! Uma mistura natural juntando fantasia com a realidade ajudando desta forma a desenvolver a imaginação das crianças!

Me lembro que crianças e adultos iam na principal rua comercial da cidade de Santo André, Coronel Oliveira Lima, somente para trocar figurinhas destes álbuns de tanto sucesso que se fazia nesta época.

Os desenhos da Hanna Barbera foram criados nos Estados Unidos por William Hanna e Joseph Barbera a partir da década de 50, mais precisamente no ano de 1957 quando surgiu o primeiro desenho animado, o da dupla Jambo e Ruivão. Antes disso, em 1943, quando trabalhavam na MGM criaram nada mais nada menos que os personagens Tom e Jerry, sendo assim tiveram juntos uma parceria que durou mais de 60 anos, criando neste período uma coleção enorme de personagens animados que ficarão para sempre na memória de milhões de pessoas do mundo todo. Abaixo duas revistas americanas Gold Key Super TV Heroes publicadas pela editora Western Publishing Company, nº 901 de Janeiro de 1969 e nº 907 de Julho de 1969.

6 7

Os gibis da Hanna Barbera foram publicados aqui no Brasil nos anos 60 através da Editora O Cruzeiro; Abaixo podem ser vistas algumas lindas capas das revistas publicadas naquela época:

Almanaque Aventura Heróis da TV nº 7 (sem data na revista) e Almanaque Don Pixote e Zé Colmeia de Novembro de 1964
 7_2

Maguila Gorila nº 1 ano II de fev – Março de 1967 e Flintstones nº 2 ano IV de Março – Abril de 1966

10

Zé Colmeia nº 12 ano VII de Dezembro de 1969 e Pepe Legal nº 5 ano III de set – Out de 1965

Dom Pixote nº 1 Ano 1 de novembro de 1960 e Dom Pixote nº 3 Ano V de Março de 1964

12

Manda Chuva nº 4 ano III de Julho – Agosto de 1966 e Manda chuva nº 6 ano II de nov – Dez 1965

13

Os Jetsons nº 6 ano II de Dezembro – Janeiro de 1966 e Os Jetsons nº 1 ano V de Janeiro de 1968

14

Nos anos 70 e 80 as histórias dos personagens dos desenhos Hanna Barbera foram publicadas pelas editoras RGE e Abril; Abaixo duas capas desta época da RGE.

Super Almanaque HB nº 1 de Junho de 1978 e HB Especial nº 1 de Junho de 1978

15

Pela Editora Abril, seguem algumas capas maravilhosas abaixo:

Heróis da TV nº 1 de Junho de 1975 e Os Flintstones e outros bichos nº 1 de dezembro de 1972

16

Diversões Juvenis nº 3 A Corrida Maluca outubro 1973 e A Corrida Maluca nº 13 Especial de setembro de 1974

17

Natal HB Especial de novembro de 1980 e Almanaque dos Flintstones de Julho de 1986

18

Zé Coméia nº 1 de Fevereiro de 1976 e Os Jetsons nº 6 de Março de 1977 e Dom Pixote nº 1 de Janeiro de 1983

Os primeiros álbuns de figurinhas da Hanna Barbera entraram em cena na década de 60 aqui no Brasil pegando carona com os desenhos animados que passavam na televisão e os gibis que eram publicados na mesma época, eis alguns dos álbuns publicados no Brasil neste período dos anos 60/70/80:

Álbum Dom Pixote, Zé Colmeia e os Flintstones – Editora Vecchi – Ano 1967

20 21 22

Álbum Festival Hanna barbera – Editora Vecchi – Ano 1973

23lo

Álbum Festival Hanna barbera – Editora Vecchi – Capas diferentes – Ano 1973

2425 26

Álbum Novo Festival Hanna Barbera – Editora Vecchi – Ano 1974

27 28extra

Álbum Super HB –Ano 1977 – Editora Saraiva

3ggf 32 33

Álbum Festival da Turma da TV – Ano 1977 – Editora Saraiva

Veja agora o Encarte Especial deste Álbum com uma História Completa da Corrida Maluca contada através de figurinhas para você se deliciar:

36 37 38 3940

Álbum HB 78 – Ano 1978 – Editora Saraiva

41 42 43

Álbum IABA-DABA-DUU! A TURMA HB – Editora Abril – Ano 1980

44

Álbum SUPERGALERIA HB – Editora Cedibra – Ano 1985

45 46 47

Histórias Curtas completas para você relembrar ou conhecer alguns personagens HB:

50s

Uma história completa dos Herculóides

57 58 5960

Uma curiosidade interessante: No ano de 1978 duas editoras e duas fabricantes de refrigerantes travaram uma guerra comercial para vender seu produtos. Enquanto nos gibis da editora Abril vinham encartados as Bingolas Disney para serem usadas juntamente com as tampinhas de refrigerantes Coca Cola e Fanta com os rostos dos personagens Disney , nos gibis da Editora RGE vinham encartadas Cartelas da Hanna Barbera para serem usadas com as tampinhas que vinham na Pepsi, Crushi e Gini com os rostos dos personagens HB. Quem se deu bem foram as crianças e os adultos daquela época, virou uma febre, pois todo mundo queria colecionar, eu era e continuo sendo um destes malucos!!

61 62 63

Até hoje corro atrás de tudo isso, do gibi que falta na minha coleção ou daquele que ainda quero ler, das figurinhas que estão faltando naquele álbum, dos episódios de desenhos animados ou séries da TV que eu curtia, da tampinha de refrigerante da Bingola Disney ou da Hanna Barbera que ainda não tenho e de muitos outros itens de temas diferentes que também gosto de colecionar, mas o melhor de tudo, é que depois de tanto tempo continuo sentindo aquela sensação gostosa e nostálgica de conseguir um novo item para minha coleção, nesta hora meus olhos brilham, eu não perdi aquela alegria de criança e continuo com o prazer de garimpar e achar algo novo ou diferente para meu acervo, em suma, isto é a arte de colecionar para mim!


Adriano Rainho
Prezo a amizade, a honestidade e o senso de justiça entre as pessoas!!!
Aprendi com meu herói dos quadrinhos Tex Willer!

21 comentários em “Uma mistura pra lá de legal!

  1. Fiz uma bela viagem no tempo por aqui meu amigo! Meus tempos de trocar gibi com os amigos da rua se você trocasse um que você não leu com um amigo que já tivesse lido os seus você tinha que dar dois e pegar um era a regra se os dois não tivesse lido ai trocava um por um lembrei disto pois havia uma ética e ninguém enganava o outro dizendo que já tinha lido o do outro!

    1. É verdade meu amigo, existia uma pureza nas crianças, era como se estivéssemos entrando nas histórias e quando aparecia um gibi que a gente não tinha lido era uma emoção muito grande quando conseguíamos fazer alguma troca!!!

    1. Obrigado amigo GG Carsan! Quando a gente começa a escrever vem as lembranças e junto tudo que marcou positivamente para mim, é legal saber que outras pessoas irão ler suas experiências e viajar na máquina do tempo, nostalgia pura!

  2. Adriano, se eu assinasse em baixo de tudo isso que você escreveu não estaria mentindo em nada!!!! KKK!!! Faltou só essa: “NÃO ESTÁTICA!!!! NÃO SE PODE COZINHAR CRIANCINHAS EM ÓLEO ESPACIAL!!!!!!” Parabéns!

  3. Este tributo que você fez aos sucessos da Hanna-Barbera é uma maravilha!
    Inclui até a campanha de lançamento da revista dos Flintstones (a 1ª série) pela Abril, no final de 72.
    E, ao ver as estórias curtas completas com os personagens da HB durante a fase da Abril, também estavam incluídas as tirinhas dos Flintstones, desenhadas pelo lendário Gene Hazelton, que foram veiculadas nos jornais de todo o mundo pela McNaught Syndicate. No Brasil, a tirinha dos Flintstones chegou a ser veiculada em dois jornais: O Globo (no suplemento dominical de quadrinhos, O Globinho Supercolorido) e na Folha de S. Paulo (no suplemento Folhateen [mais precisamente na fase atual da tirinha, desenhada pela Karen Machette, ex-assistente do Hank Ketcham na tirinha Dennis, o Pimentinha]). Atualmente, a tirinha dos Flintstones é distribuída nos jornais do mundo todo pela Editors Press Services.

    1. Olá Rodinei! Obrigado pelo elogio e também por estas informações detalhadas sobre Os Flintstones e o Universo HB, com certeza estes quadrinhos e desenhos animados estarão sempre vivos na memória de todos que curtiram esta época mágica!!

  4. Voltei no tempo, amigo. E também volto a cada compra que faço contigo. Obrigado por nos proporcionar essas oportunidades.
    Abraço.

  5. Ótima crônica! Foi como uma volta no tempo da infância para todos que a viveram entre os 60 e 70. E ainda tinha os seriados japoneses do Nacional Kid, Ultraman e UltraSeven e os seriados Viagem ao Fundo do Mar, Terra de Gigantes, Jornada nas Estrelas e Túnel do Tempo. Taí assunto para outra crônica.

Deixe uma resposta